Essa crença é que leva grande parte dos pacientes a desistirem do tratamento da dor. A Dor Crônica pode ser muitas vezes complexa, resistente aos tratamentos empregados e normalmente envolve processos físicos e químicos que alteram a nossa percepção sobre a dor e a maneira como interpretamos e lidamos com ela.

Mesmo esses casos devem ser compreendidos e tratados de forma multidisciplinar, focando na origem da dor e nos fatores que a pioram e fazem com que ela seja resistente às terapias.

Além do uso de medicamentos, Os tratamentos podem envolver terapias de reabilitação física focadas nas limitações individuais, acompanhamento psicológico, prática de atividades físicas e mudança de hábitos do paciente.

As técnicas intervencionistas da dor têm papel importantíssimo para esses pacientes que não encontram alívio apenas com medicamentos e outras técnicas. Procedimentos como as Infiltrações, os métodos ablativos como a Rizotomia por Radiofrequência, os sistemas implantáveis de neuromodulação e liberação de fármacos, podem ser indicados para o alívio significativo da dor, ajudando o paciente a seguir com as suas atividades de rotina e reabilitação física.

algumas condições dolorosas não tenham cura, é possível tratar e ter uma melhor qualidade de vida.